18 maio, 2011

Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual

 

Coordenadoria Especial da Diversidade SexualA Prefeitura do Município do Rio de Janeiro criou em 2011 a Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual. A função da pasta é combater a discriminação e o preconceito, de quaisquer formas, pois esses são verdadeiros males do século. O compromisso é obter a visibilidade de cariocas e turistas com Campanhas de conscientização, ações junto a população e o que for possível para a cidade do Rio de Janeiro se distanciar desse comportamento.

Somos uma cidade inclusiva, receptiva e hospitaleira. Logo, o poder público atuará de forma incisiva através da CEDS para garantir o pleno exercício da cidadania da população LGBT e de todos os demais.

Cabe ao novo órgão propor políticas públicas de promoção de cultura de respeito à livre orientação sexual e identidade de gênero que favoreçam a visibilidade e o reconhecimento social do cidadão LGBTT carioca - lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no Município do Rio de Janeiro.

A CEDS é um órgão, recentemente criado, pela Prefeitura, que tem como objetivo propor políticas públicas de promoção de cultura de respeito à livre orientação sexual e identidade de gênero, assim como resguardar direitos que favoreçam a visibilidade e o reconhecimento social do cidadão LGBT - lésbicas, gays, bissexuais e transgeneros no Município do Rio de Janeiro.

O Rio de Janeiro é o melhor destino gay do mundo.
Um título que não detém por acaso.

A cidade, que criou em 2011 a Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual, foi pioneira no país na criação de lei que pune práticas discriminatórias contra Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBTs): a Lei n.º 2475/1996, regulamentada pelo Decreto 33.033/2008, que assegura que no Município do Rio, nenhum estabelecimento comercial ou repartição pública carioca poderá discriminar pessoas em virtude de sua orientação sexual ou identidade de gênero tais como:

• Inibir ou proibir a manifestação pública de carinho, afeto ou sentimento
• Impedir ou dificultar o acesso do consumido ou recusar-lhe atendimento
• Negativa ou imposição de pagamento superior em hotéis, motéis e similares

A discriminação e o preconceito, de quaisquer formas, são verdadeiros males do século e o que for possível para a cidade do Rio de Janeiro se distanciar desse comportamento, será feito. Somos uma cidade inclusiva, receptiva e hospitaleira. Logo, o poder público atuará de forma incisiva através da

 

Fonte: www.cedsrio.com.br