04 novembro, 2011

Rocinha e Vidigal

Bope e Batalhão de Choque devem tomar as comunidades no dia 13

As favelas do Vidigal e da Rocinha, em São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro, serão as próximas a receberem uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora). Apesar de a Secretaria de Segurança Pública do Estado não confirmar oficialmente a informação, integrantes da cúpula da PM afirmam que a previsão para o início da ocupação é o dia 13 de novembro, quando policiais do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) darão início ao processo de ocupação das duas comunidades.

A data foi definida durante reunião com o alto escalão da Polícia Militar e da Secretaria de Segurança há uma semana. No encontro ficou acertada a estratégia de ocupação. A opção de também entrar no Vidigal teria como objetivo impedir a fuga de traficantes para a favela vizinha.

Com a tomada da Rocinha e Vidigal, a Secretaria de Segurança Pública fecha mais uma espécie de cinturão de segurança, desta vez na orla da zona sul, já que as favelas de Ipanema, Copacabana, Leme e Botafogo já estão ocupadas. São elas: Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, Ladeira dos Tabajaras e morro dos Cabritos, Chapéu-Mangueira e Babilônia e morro Dona Marta.

Com aproximadamente 70 mil moradores, a favela da Rocinha é uma das maiores favelas do Brasil e uma das mais importantes para o tráfico de drogas. Ela chega a movimentar R$ 2 milhões por semana, de acordo com estimativas da Dcod (Delegacia de Combate às Drogas), um total estimado em R$ 8 milhões por mês, principalmente com a venda de cocaína.

A ocupação será feita pelo Bope (Batalhão de Operações Especiais) e pelo Batalhão de Choque, que costumam passar, em média, de 45 a 60 dias fazendo um trabalho de varredura nas comunidades antes da implantação da UPP, em busca de armas e drogas. Na Mangueira, no entanto, o Bope permaneceu por quatro meses até a inauguração da 18ª UPP, na última quinta-feira (3).

A Rocinha também é reduto de um dos traficantes mais procurados do Rio - Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem - contra quem pesam pelo menos nove mandados de prisão pelos crimes de tráfico de drogas, homicídio e lavagem de dinheiro. O Disque-Denúncia (0xx21) 2253-1177 oferece R$ 5 mil de recompensa por informações que levem ao paradeiro de Nem.

 

rocinha vista aerea